Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Ultimas Atualizações
SPING REVISTA VIRTUAL   (17-06-2017)
Horóscopo - Signos  (17-06-2017)
Testes de Amor  (17-06-2017)
Testes de fã  (17-06-2017)
Contato  (17-06-2017)
Anitta  (17-06-2017)
Paula Fernandes  (17-06-2017)
Luan Santana  (17-06-2017)
Amizade de Pauletes  (17-06-2017)

Rating: 3.0/5 (16405 votos)

ONLINE
1


 

SPING REVISTA VIRTUAL

 

 

 


Evento "pega fã" Cuidado
Evento "pega fã" Cuidado

 09/11/2015 - Sping Revista Virtual - Sua Amiga de Fandom por toda Vida 

O fã brasileiro é um fã carente. O fã brasileiro de séries, por sua vez, é ainda mais. Isso porque é muito raro ter a oportunidade de ver e conhecer os seus ídolos da TV, que raramente vêm ao Brasil. Sabendo disso, algumas empresas desenvolveram um esquema para explorar toda essa carência e frequentemente lançam eventos “pega fã” que causam mais dor de cabeça e frustração do que qualquer outra coisa. Não vamos indicar ou mencionar nenhum específico atual ou passado, por questões legais, mas daremos aqui algumas dicas para evitar problemas que se multiplicam com a mesma rapidez em que esse tipo de atração fica cada vez mais comum.

Identificando a “Furada”

O primeiro passo para não cair em armadilhas é identificar o tipo de evento. Geralmente tratam-se de “convenções” sobre um tema específico e envolvem celebridades “nível B ou C”, seja coadjuvantes de séries ou filmes atuais, protagonistas de produções de canais menores ou até mesmo estrelas de algumhit do passado. Esses eventos “pega fã” raramente são parte de algo maior (como um show ou turnê de divulgação oficial, por exemplo) ou têm qualquer envolvimento com estúdios, emissoras e até mesmo com a assessoria do próprio convidado, que aceita vir só pra faturar uma grana rápida.

O Evento

Tais eventos possuem conteúdo “vazio”, ou seja, são uma mera desculpa para vender entradas, photo-ops (oportunidade de fotos) e meet and greets em pacotes com preços absurdos para um cidadão comum, mas altamente convidativos quando o convidado é o artista favorito do fã. O cronograma de eventos costuma incluir um “Q&A” onde alguns gatos pingados podem perguntar algo ao artista, que depois segue para as “ops” individuais com quem pagou mais. Além disso, a infraestrutura para o recebimento das pessoas é precária, feita com improviso em salões de festa, hoteis, etc.

Dependendo dos casos, uma entrada para uma dessas “convenções” pode custar até R$ 1.000,00, fora passagem, hospedagem, ingresso pra fotos, autógrafos, meet and greets e outras “recompensas pagas” (e existe até pacote com preço maior até pra selfies). Ah, sim, como a maioria dos eventos ocorre no Rio ou SP, o fã ainda tem que viajar e até mesmo levar mãe, pai ou acompanhante. Pacotes completos podem chegar a mais de R$ 5.000,00 por pessoa apenas para o sujeito passar uma tarde em filas intermináveis e rapidamente cumprimentar uma celebridade. Isso, claro, quando elas aparecem.

“No-show” de Convidados

Diferentemente de seus fãs, artistas internacionais possuem agentes e advogados. Em qualquer contrato para “aparição” em eventos existe uma cláusula de rescisão totalmente favorável do tipo: “eu posso cancelar essa aparição a qualquer momento e não tem multa alguma”. Isso é comum porque nunca se sabe quando a estrela pode ser chamada pra um filme, uma auditionou algo mais economicamente mais interessante. Sim, porque ele está ali pra faturar uma grana rápida, mas um filme ou série sempre pagará mais.

Esta condição certamente estará espelhada no ingresso (o que advogados chamam de cláusula back to back) ou nos termos e condições de compra, dizendo que o evento pode ser cancelado a qualquer momento e o único direito é a devolução dos valores pagos. É muito importante ler todas as linhas legais, por mais chatas e escondidas elas sejam.

Os “Organizadores”

Assim como celebridades que querem uma grana rápida, os organizadores desses eventos possuem o mesmo objetivo. Por isso, como dito, os eventos são precários (geralmente umas cadeiras, um projetor, uma mesa e só), sem segurança, locais apropriados para alimentação, descanso ou recreação dos pagantes. Por isso os organizadores são empresas de eventos das quais você nunca ouviu falar e provavelmente foram criadas só para aquela oportunidade e sem nenhum escritório administrativo. Uma rápida pesquisa pode indicar o histórico de quem está por trás, isso se é que ela esteja devidamente constituída nos termos da lei. Os ingressos são vendidos em sites obscuros (afinal os maiores cobram taxas) e muita gente reclama de não conseguir receber o dinheiro de volta em virtude de cancelamento.

Dicas

Por todo o exposto, seguem aqui algumas dicas para você ter certeza de que o evento que você comprou ingresso é sério e não correrá o risco de ser lesado:

  • Pesquise: Pesquise tudo o que puder sobre o evento em questão. Busque o CNPJ dos organizadores no site da Receita, cheque no Google Maps se o endereço administrativo apresentado indica um local idôneo (e não uma residência qualquer) e acesse o site de eventuais patrocinadores ou colaboradores. Com o nome dos organizadores, vá a sites como o ReclameAqui ou simplesmente faça uma pesquisa no Google. Ocorrências prévias poderão indicar o quão perigoso pode ser aventurar-se nesta empreitada.
  • Desconfie: Desconfie dos preços, das formas de pagamento apresentadas, das promessas de que será “o maior evento dos últimos tempos” da série X e que o fã terá acesso ilimitado ao artista. Isso não é verdade, pois simplesmente não há tempo hábil para que todos sejam atendidos.
  • Pagamento: Prefira métodos de pagamento de sites que fazem intermediação do recebimento de valores como o PagSeguro, MOIP ou PayPal, onde você pode ter um último recurso caso o organizador simplesmente decida fugir com seu dinheiro.
  • Informe-se: Se decidir comparecer, busque o máximo de informação possível sobre todos os aspectos do evento: do local onde será realizado até a programação. Veja também se os sites que estão divulgando a atração são sérios. Muitas vezes blogs e sites costumam divulgar este tipo de evento apenas para conseguir uma “credencial” de acesso e que muitas vezes sequer existe.
  • Não faça planos de viagem caros: Se você mora longe do local de realização, o cuidado deve ser redobrado. Se você não comprou um pacote reembolsável com os próprios organizadores e preferiu adquirir passagem aérea ou reservar hotel por sua conta, prefira sempre tarifas flexíveis e/ou que permitam o cancelamento imotivado, já que o evento pode simplesmente não ocorrer e o prejuízo ser ainda maior, pois não haverá outras atrações.
  • Prefira Eventos Já Consagrados: Prefira investir seu dinheiro em eventos já estabelecidos como a Comic Con Experience, FIQ, Bienal,YouPIX, AnimeFriends, Campus Party, Brasil Comic Con e outros que são comprovadamente sérios e possuem empresa idôneas por trás. Os preços destes eventos, inclusive, são bem mais convidativos do que o dessas “cons” que pipocam por aí, em torno de R$ 100 a R$ 300 reais por uma programação mais completa contra os mais de R$ 800,00 ou R$ 1.000,00 pela tal “tarde de interação”.

Fui lesado, e agora?

  • Se você for lesado por qualquer uma destas empresas que prometem e não cumpra, corra atrás dos seus direitos. Lembre-se que pela lei consumerista você tem 7 (sete) dias para desistir imotivadamente de qualquer compra na Internet (contado da data da compra).
  • Se o evento foi cancelado, você tem o direito de receber o dinheiro de volta e não é obrigado a receber crédito para evento futuro.
  • Se por qualquer motivo não devolverem o seu dinheiro, vá imediatamente ao Juizado Especial das Relações de Consumo, procure o setor de atermação e entre com uma ação. Não é necessário advogado para pequenas causas.

Cuidado e bons eventos.